Seu relacionamento amoroso tem feito você crescer?

Uma visão sobre amor e relacionamentos de Sri Prem Baba

Atma Yoga

Estamos sempre nos relacionando. Nos relacionamos com o mundo e com as pessoas à nossa volta. Em alguns momentos podemos nos sentir perdidos nesse universo de troca : o que é meu? o que é do outro? Essa leitura nos traz uma ótima reflexão. Afinal, o que é o amor?

'O sentido espiritual de um relacionamento amoroso, tirando todo o romantismo, é ser um material de escola que te ensina a amar, a ser livre e a deixar o outro livre. Quando eu digo “ensinar a amar”, uso uma figura de linguagem, porque não é possível aprender a amar – o amor já existe, ele é a fragrância do ser. Mas a relação afetiva gera uma fricção que possibilita remover obstáculos que te impedem de amar. Esse é um assunto bastante delicado e as chances de eu ser mal compreendido são tremendas, mas vamos tentar.

Existem certas lições que você só pode aprender com suas relações amorosas, porque elas são catalizadoras de todas as suas feridas, de tudo aquilo que não está integrado dentro da sua constelação familiar. Todo seu passado é reeditado na relação amorosa para que você tenha a chance de integrá-lo, de curar essas relações familiares que ainda estão, de alguma forma, infringindo dor no seu sistema.

Embora o relacionamento amoroso seja um poderoso instrumento de aprendizado e de cura, ele pode também te levar a um sono.

Embora o relacionamento amoroso seja um poderoso instrumento de aprendizado e de cura, ele pode também te levar a um sono. Nesse sentindo, você pode estar apenas repetindo determinados padrões destrutivos (apegos, disputas, projeções, medos) e andando em círculos, deixando de se expandir e crescer. Há que se ter discernimento e sabedoria para identificar quando isso ocorre.

O objetivo maior de um relacionamento amoroso é sustentar o êxtase. É sustentar a conexão da energia sexual com o coração aberto: o encontro de duas correntes positivas, dois sins. Esse encontro aponta a direção da suprema liberdade e só é possível se existir amor e liberdade.

Portanto, isso que eu tenho chamado de novo casamento, não costuma chegar cedo na vida, porque requer certa maturidade, uma compreensão e inclinação para deixar o outro livre – livre inclusive para não te amar se ele não quiser. Essa é a prova final dessa iniciação chamada relacionamento amoroso.

Eu o vejo como uma iniciação espiritual. Você só completa esse ciclo iniciático quando supera a carência afetiva, ou seja, quando se liberta da insegurança, do ciúme e da possessividade. Só assim você consegue de fato, ser livre e deixar o outro livre. Por sua vez, podemos entender a relação amorosa como o próprio remédio para a carência. Dependendo da sua carência, você precisa ficar um tempo X dentro de uma relação ou às vezes precisa ficar sozinho. Não tem uma receita. Isso tem que ser sentido por você – o que você está precisando no momento.

você está apenas andando em círculos, machucando e sendo machucado Às vezes você não consegue perceber porque está cego pela própria carência. Por exemplo, você pode estar precisando ficar um tempo sozinho, mas sua carência ainda está tão grande que você não quer sequer parar para pensar se a relação em que você está tem te feito crescer ou se dentro dela, você está apenas andando em círculos, machucando e sendo machucado.

Quando a relação se torna eminentemente destrutiva, sem chances para crescer no amor, na liberdade e no perdão, você tem que ter a coragem de tirar umas férias. Tem que ter coragem de olhar de frente para isso e explorar o medo que talvez você tenha de ficar sozinho. Eu não estou incentivando a separação! Eu estou incentivando você a encarar a verdade; a ser honesto com você e com o outro.

Muitas vezes, você mantém seu relacionamento para poder ter onde projetar suas ilusões. O outro é uma tela em que você projeta seus sonhos e quando ele quer deixar de ser essa tela ou quando você sente que não está mais conseguindo projetar seu sonho nessa tela, você acaba com o relacionamento. Mas você fica ansiosamente aguardando o momento de encontrar outra tela para continuar projetando o seu sonho. Outras vezes, você mantém o seu sonho fazendo do outro um escravo para atender os seus caprichos. Você força o outro a te amar, porque acreditou que se ele fizer do seu jeito, ele te ama. Não se engane: isso significa aprisionar o outro.

Vou te passar uma lição de casa. Se você está com alguém, comece a se perguntar: por que estou nessa relação? O que me mantém aqui? Não tenha medo de ser honesto consigo mesmo. É só a mentira que cai, a verdade nunca cai. Se o que te mantém nessa relação é o amor a Deus e à liberdade é porque você está se expandindo na luz; está crescendo dentro do programa estabelecido pela sua alma. Se for assim, zele por essa relação, firmeza no amor, no perdão, na liberdade e siga em frente. Mas se você está na relação por outras razões, tenha coragem para olhar o que te mantém aí. Dê essa passo a seu favor. Estou querendo que você rompa com a mentira e siga se expandindo.' (Sri Prem Baba)

Nosso Caminho

Quando estamos onde deveríamos estar, as portas se abrem e tudo flui

Pri BohlsenAtma

Quem nunca se perguntou "o que eu vim fazer aqui?" ou "o que eu deveria estar fazendo?" ou "será isso tudo da minha vida?". Essas inquietudes fazem parte da maioria dos humanos, e principalmente daqueles que buscam algo, buscam uma mudança, buscam um significado. Eu sou daquelas que acredita que a maior gratificação que podemos ter é ajudar na transformação da vida de alguém, por menor que possa parecer.

Existem momentos de total incerteza, de escuridão. Esses momentos não existem somente nas nossas vidas, mas também no universo que nos rodeia. O dia, a noite. O sol, a lua. A vida, a morte. O movimento, a espera. Entre esses momentos, existem instantes que eu gosto de chamar de "momentos de escolhas". São momentos em que nossas decisões, se vamos para a direita ou para a esquerda, musam complatamente o caminho que nossas vidas estão levando.

Estes momentos acontecem sempre, o tempo todo. Está acontecendo agora, nesse instante. E qual a sua escolha?

Assisti um filme interessantíssimo que traz exatamente este tema: nossos momentos de escolha. Se quiser continuar com a reflexão, o link segue abaixo.

Open House Espaço Atma Yoga

Noite de Celebração

Atma YogaAtma

Sexta feira, dia 23 de Setembro de 2016 a partir das 20h, horas teremos um Open House juntando o pessoal do Atma Yoga São Paulo e Atma Yoga Valinhos. Será uma noite de celebração deste novo caminho que iniciamos e queremos compartilhar esta alegria com todos vocês.

"A música é uma ponte para o eterno;
Ela é a linguagem do silêncio.
Os bhajans abrem o coração e aquietam a mente, e o silêncio que nasce dessa prática propicia a experiência espiritual."

Sobre Mantras, Bhajans e Kirtans

Na nossa vida diária nós usamos palavras para fazer tudo que precisamos e para obter tudo que precisamos. Cada mantra ou palavra é um padrão sonoro que sugere para mente o seu significado inerente e a mente responde imediatamente. Cuidado com as palavras que você mais usa, minha mãe sempre dizia que a boca fala do que o coração está cheio. Através das suas palavras você pode mudar sua vibração e vice versa...

Nasce o Espaço Atma Yoga

Com muito carinho montamos este espaço para o Yoga que acreditamos

Atma YogaAtma

"Qual tipo de Yoga você pratica?" "Qual o Yoga certo para mim?" "Qual o Yoga original?" Quem nunca ouviu ou nunca fez essas perguntas, provavelmente ainda não praticou Yoga. No nosso mundo ocidental, Yoga virou sinônimo de muitas coisas: bem-estar, zen, hippie, da paz, vegetariano e por aí vai. Realmente nosso mundo e modo de pensar capitalista encontrou um jeito (muitas vezes lindo e sedutor, outras vezes nem tanto) de comercializar esta prática milenar. Para nós do Atma Yoga, tudo é válido. Vale fazer àsana para postar fotos no instagram com filtros legais, vale praticar para mergulhar no seu silêncio interior, vale vir na prática só para satisfazer os pedidos da esposa ou do marido ou do chefe ou seja de quem for. Se de alguma forma você chegou na estrada do Yoga, você já pode começar a perceber o universo que ele nos mostra (e que está, e sempre esteve, dentro de você).

Por isso, aqui no Espaço a gente não segue uma linha específica, nem uma escola só. Temos práticas que serão mais Hatha, outras mais Vinyasa. Por que não um pouco de Ashtanga? Como para nós Yoga é um caminho, vamos andar, correr, esperar e dançar por ele. Afinal, o universo é grande e as ferramentas são todas.

Sejam muito bem-vindos ao nosso universo.

Samskaras e Maia

Nossos ciclos e caminhos

Diana Bruck

Alguma vez você já sentiu alguma área da sua vida bloqueada, um setor que sempre encontra barreiras e parece que cada passo pra frente é uma maratona?

Alguma vez você já sentiu que você não é nada daquilo do que é esperado que você seja pelo sistema, pelas pessoas ao seu redor, ou mesmo aquilo que você mesmo acha que deveria ser? Um cansaço dos mesmos círculos dos mesmos limites das mesmas experiências que se apresentam +1 vez como se fossem diferentes níveis de uma mesma história... falta informação ou faltam recursos ou simplesmente inspiração para sair dessa caixinha cheia de rótulos.

Essa é uma realidade vivida por todos nós.O que simplesmente não conseguimos identificar quais são as barreiras que seguram o nosso desenvolvimento. Às vezes temos a sensação de que a realização está logo ali na frente, mas uma barreira invisível nos separa dos nossos sonhos e, sem entender o por quê, nos escondemos em memórias e condicionamentos que não nos permitem crescer. Esse bloqueio criativo gera não só desconforto e frustração mas é a raiz de todos os problemas. Mais estranho ainda é observar que outras pessoas a nossa volta conseguiram conquistar aparentemente sem dificuldade alguma aquela auto estima, ou a saúde e equilíbrio, ou realização pessoal, a segurança financeira ou felicidade em seus relacionamentos ou qualquer outra área da vida que nós mesmos não conseguimos aperfeiçoar.

Em vários momentos resolvemos que nós somos os donos do nosso destino e ingressamos em uma nova estratégia de conquistar aquilo que acreditamos, mas logo armamos as nossas próprias armadilhas e sabotamos nossa própria realização.

Porque isso acontece ?

No yoga chamamos esses ciclos de Samskaras, você cria uma ilusão e a partir dela você determina hábitos. Milhares de hábitos são criados em nossas subconsciente na infância, pela família, escola, televisão, convívio social, e muitos outros desenvolvemos nós mesmos. Esses hábitos e conceitos formam um paradigma que vai controlar praticamente todas as nossas ações.

Como quebrar e como re-moldar esse paradigma? Essa é a grande questão. É possível mudá-lo de acordo com o que você bem entender. Para alcançar a tão almejada liberdade você precisa das ferramentas certas e disciplina. Do lado de fora do seu velho paradigma está moksha, o estado de libertação de todo seu potencial criativo que é muito maior do que você jamais poderia imaginar! Você é um incrível ser com poderes muito além da sua imaginação! Você não cabe em nenhuma caixa, em nenhum rótulo, em gaiola alguma! você tem dons extraordinários, idéias saindo pelas orelhas, mundos inteiros cabem no seu peito, você pode criar a partir da natureza um universo novo, reinventar-se ao seu bel prazer. Tamanho poder traz enorme responsabilidade.

Sua única limitação é aquela imposta sobre você por você mesmo ou aceita por você inconscientemente.

Infelizmente nosso sistema não nos fornece as ferramentas. Mas se prepare pois esse conhecimento está disponível já foi testado e aprovado por milênios. O único combustível necessário para você desvendar a suas maravilhosas potencialidades é a sua vontade.

Nossas práticas

Pri Bohlsen

'O único jeito de chegar a onde nunca se foi, é fazer algo que nunca se fez'.
Somos acostumados a seguir um caminho conhecido nas nossas vidas e, também por esse motivo, acabamos fazendo tantas coisas para acabar com aquele velho e conhecido sentimento de 'estou aqui de novo?'.
Esse sentimento pode surgir de uma situação, um pensamento, um sentimento, uma experiência, um lugar, uma discussão.. Isso porque, se continuamos fazendo exatamente a mesma coisa que fizemos todas as outras vezes, por que o resultado seria diferente? O grande segredo para a mudança é (uau):a mudança. Parece lógico, não? Mas, como entender o que fazemos e como fazemos, como perceber nosso padrão de comportamento, se estamos tão preocupados o tempo todo com nossas responsabilidades e deveres? Com nosso trabalho e com as contas para pagar?
O primeiro passo que propomos é nossa respiração. Levar a atenção para a nossa respiração nos tira do automático e nos traz para o presente. E, quando estamos presentes, temos consciência. E, apenas com a consciência, temos a liberdade de escolha.

A pratica da consciência acompanha nosso impulso sincero de mudança. Então, se você quer mudar, começar a praticar é um bom jeito: pratique a consciência e a presença =]

Não, você não precisa começar a praticar Yoga para mudar sua vida, mas é um caminho que, com certeza, vai te ensinar muitas ferramentas. E você está sempre convidado para vir com a gente.

Menos julgamento, mais amor

O caminho para o amor e a aceitação

Pri Bohlsen

Se teve uma coisa que aprendi nessa minha estrada de auto-conhecimento foi: primeiro de tudo, não temos o poder de mudar o outro. Mas temos o poder de mudar o mundo. Não parece fazer sentido, né? Mas é impressionante como o mundo muda completamente quando nos mudamos.
Essa descoberta me fez aprender a sempre olhar primeiro para mim quando quero que algo mude, pois a primeira mudança começa dentro de nós.
Aprendi também que não temos a menor idéia do que se passa com o outro. "Todo mundo que a gente encontra na vida está enfrentando uma batalha que você não sabe nada a respeito.". No momento em que compreendemos isso, nasce uma tal de compaixão com a nossa própria história que transborda de nós para todos os outros.
Como todo o resto, a compaixão e o não julgamento podem se tornar natural a partir da nossa prática. Que tal experimentar? O primeiro passo é sempre a respiração, e o segundo, a escolha.